Profissionais do SUS são capacitados em vigilância em saúde do trabalhador

Vigilancia saúde do trabalhador_090224 (1)

Com o objetivo de fortalecer o trabalho de Vigilância em Saúde do Trabalhador, profissionais da rede municipal estão participando do Curso Básico de Vigilância em Saúde do Trabalhador, organizado pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), no período de 24 a 28 de setembro, na Assembleia Legislativa do Amazonas.

O curso, que também é coordenado pelo Ministério da Saúde, é realizado por meio de parceria do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest/Manaus), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), e do Cerest/Amazonas.

De acordo com o diretor do Cerest/Manaus, o fisioterapeuta Reginaldo Rodrigues, o curso tem uma carga horária de 40 horas e foi organizado com o objetivo de ampliar o conhecimento dos profissionais que já atuam na saúde do trabalhador, na prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

“Também é uma oportunidade de troca de experiências entre os participantes, o que envolve servidores do Cerest estadual e municipal, da Vigilância Sanitária (Visa Manaus), da Atenção Básica e de representantes do controle social, qualificando o trabalho relacionado à saúde do trabalhador no Sistema Único de Saúde (SUS)”, destaca Reginaldo Rodrigues.

Metodologia

A capacitação é executada a partir do Manual Técnico do Curso Básico de Vigilância em Saúde do Trabalhador. Segundo a instrutora Magna Leite, multiplicadora nacional do curso, a capacitação dos profissionais faz parte de um trabalho de Educação Permanente, iniciado em 2014, com o objetivo de subsidiar a formação de profissionais em todo o Brasil. “Os objetivos principais da formação de agentes de Vigilância em Saúde do Trabalhador são produzir, analisar e difundir informações sobre os agravos à saúde decorrentes do trabalho. Os participantes do curso já atuam na área, mas a intenção é ampliar o conhecimento, ampliar o olhar, a respeito desse tema”, explica Magna Leite.

Para a médica do trabalho Luiza Ane Sicsu Carneiro da Cunha, servidora do Cesrest/Manaus, o curso serve como um método de sistematização do conhecimento que os profissionais já utilizam na vigilância em saúde do trabalhador, adaptando para a realidade de cada cidade ou Estado.

“Com a sistematização, é possível ter um método e um caminho a ser seguido. O maior desafio dos profissionais que trabalham nessa área, ainda, é fazer com que haja um maior reconhecimento sobre a importância da saúde do trabalhador, assim como da notificação das doenças e acidentes. Há uma série de doenças relacionadas ao trabalho, que são de notificação compulsória, mas muitas vezes não são reconhecidas como sendo relacionadas ao trabalho. O problema é que, se essas doenças não são notificadas, os serviços de saúde, o Cerest, não têm como intervir ou estabelecer estratégias para a prevenção”, ressalta Luiza Cunha.

Saúde do trabalhador

O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest/Manaus) é ligado ao Sistema Único de Saúde (SUS). Foi instituído pela portaria do Ministério da Saúde nº 1.679/02, implantado pela portaria SAS/MS nº 653/06 e faz parte da Semsa desde 14 de fevereiro de 2008, integrando a estrutura do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae).

A função do Cerest/Manaus é subsidiar a rede municipal de saúde, observando dos princípios e diretrizes do SUS, na implementação da Política Nacional de Saúde do Trabalhador, garantindo a melhoria da qualidade de vida desse público.

Texto: Eurivânia Galúcio/Semsa

Fotos: Divulgação/Semsa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here